Informação para você ler, ouvir, assistir, dialogar e compartilhar!
Tenha acesso ilimitado
por R$0,30/dia!
(no plano anual de R$ 99,90)
R$ 0,30/DIA ASSINAR
No plano anual de R$ 99,90

Iraque pode ter referendo sobre acordo de tropas dos EUA

O Parlamento iraquiano está perto de aprovar nesta quarta-feira o acordo que define a data de saída dos militares dos Estados Unidos, mas podia tornar o pacto pendente de um referendo a ser realizado no ano que vem, disseram congressistas. O acordo que fixa o prazo de retirada até o final de 2011, mais de oito anos após a queda do ditador Saddam Hussein, estava prestes a ser colocado em votação, mas continuava sujeito a barganhas de última hora. O aparente acordo por um referendo parecia uma concessão dos curdos e dos xiitas aos deputados sunitas, que disseram que apoiariam o pacto de segurança se ele fosse colocado em votação para todo o país. O pacto já foi aprovado pelo gabinete e assinado com Washington. Se a proposta de um referendo for aprovada pelo parlamento, o pacto de segurança será aprovado, disse Abdul-Kareem Al-Samaraie, deputado do principal grupo sunita, a Frente de Concordância, que pediu o voto popular. Haverá uma aprovação inicial do pacto de segurança até que ocorra o referendo em 2009. Ele será válido até lá. Se o resultado (do referendo) for "não" ele será cancelado, declarou. Um parlamentar do Dawa, partido do primeiro-ministro Nuri al-Maliki, disse que não tem problemas quanto a isso, e um congressista curdo, cujo grupo faz parte da coalizão de Maliki, concordou. Um porta-voz do governo disse que a proposta não havia sido concluída, mas que parecia não causar nenhum dano. (Reportagem adicional de Mohammed Abbas, Tim Cocks, Aseel Kami e Khalid al-Ansary)

AHMED RASHEED, REUTERS

26 de novembro de 2008 | 13h11

Tudo o que sabemos sobre:
IRAQUEREFERENDOPACTO*

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.