Iraque redige lei para permanência britânica em 2009

O gabinete iraquiano redigiu na terça-feira uma lei que autoriza a permanência militar da Grã- Bretanha, da Austrália e de alguns outros países a partir do ano que vem, disse o porta-voz governamental Ali Al Dabbagh. Romênia, Estônia, El Salvador e a Otan também poderão manter tropas no Iraque após o dia 31, quando expira o mandato da ONU para a ocupação estrangeira. A lei ainda precisa ser aprovada pelo Parlamento, que já autorizou a permanência militar norte-americana por mais três anos. Não ficou claro qual seria o prazo para a retirada desses outros países, cujos contingentes são bem menores. Um parlamentar governista disse que isso deve ocorrer dentro de sete meses. Em nota, Dabbagh disse também que a nova lei "organiza as atividades (dos países envolvidos) durante sua presença temporária no Iraque". Embora explosões suicidas e com carros-bombas continuem sendo comuns no país, a violência sectária e os ataques insurgentes subseqüentes à invasão que derrubou a ditadura de Saddam Hussein começaram a diminuir.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.