Iraque reforça segurança em pelegrinação xiíta de Kerbala

Celebração, uma das mais importantes do islã, lembra a morte de Imam Hussein, assassinado há 1,3 mil anos

Efe,

15 de fevereiro de 2009 | 10h26

As autoridades iraquianas realizaram os últimos preparativos extraordinários de segurança para a proteção dos milhares de pelegrinos xiitas esperados na segunda-feira, 16, para a comemoração religiosa de Ashura, em Kerbala, a 110 quilômetros de Bagdá. Fontes do escritório de imprensa da polícia de Kerbala informaram que há um plano especial para a celebração, uma das mais importantes da comunidade xiita.   Iraquianos oferecem chá aos pelegrinos, em pelegrinação rumo à Kerbala. Foto: Reuters   As medidas incluem agentes adicionais da polícia e exército iraquiano, e o aumento nos postos de controle nas entradas da cidade, considerada sagrada. Além disso, as autoridades iraquianas proibiram a circulação de automóveis dentro de Karbala e o porte de armas, mesmo para as pessoas que têm permissão.   Apesar do plano de segurança, na última sexta pelo menos 35 pessoas morreram e outras 65 ficaram feridas em um atentando suicida contra pelegrimos xiitas próximo à Kerbala. Nos últimos dias, milhares de fiéis islâmicos começaram a caminhar rumo à cidade para participar da festividade na segunda.   O Ashura (quarenta) é comemorado ao final de 40 dias de luto a cada ano em memória de Imam Hussein, assassinado há mais de 1,3 mil anos. Imã foi mutilado e morreu nas mãos do exército sunita no ano de 648, na chamada batalha de Tuff, em Kerbala, junto com seu irmão, Al Abás, e outros membros de sua família. Durante o Arbain, os fiéis xiitas se autoflagelam e infligem castigos corporais como demonstração de por dela morte de Imam.

Tudo o que sabemos sobre:
IraqueKerbalaArbain

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.