Iraquianos organizam na Internet 'dia de fúria' por melhorias

A onda de revoltas no mundo árabe inspirou os jovens iraquianos a se conectarem pelas redes sociais e organizarem seu "dia de fúria", na próxima sexta-feira, contra os precários serviços públicos no Iraque.

REUTERS

24 de fevereiro de 2011 | 10h53

A previsão é que milhares de iraquianos participam do protesto, organizado principalmente no Facebook, depois de semanas de manifestações em vários pontos do país pedindo mais empregos e o fim da escassez de alimentos, energia e água.

"25 de fevereiro é o dia de fúria dos iraquianos, por mudança, o fim da corrupção e do sectarismo no Iraque", diz uma mensagem postada no Facebook por um grupo chamado "Facebook de Bagdá", que tem mais de 3 mil seguidores.

Um membro de outro grupo, chamado " Uma rua sem um buraco em Bagdá", também com mais de 3 mil seguidores, pediu que as pessoas participem de protestos pacíficos para melhorar os serviços públicos.

É impossível verificar quantos integrantes desses grupos vivem no Iraque.

Os iraquianos reclamam há muito tempo da falta de serviços básicos, mas, ao contrário de outros países da região, não fizeram manifestações recentemente pedindo mudança de governo.

O país ainda tenta voltar à normalidade após a invasão liderada pelos Estados Unidos, em 2003.

(Reportagem de Khalid al-Ansary)

Tudo o que sabemos sobre:
IRAQUEDIAFURIA*

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.