Israel abre as urnas para escolher novo primeiro-ministro

Zonas eleitorais ficam abertas até as 18h (horário de Brasília); Binyamin Netanyahu aparece como favorito

Agências internacionais

10 de fevereiro de 2009 | 04h16

Pouco mais de 4,8 milhões de eleitores israelenses vão às urnas nesta terça-feira, 10, para eleger o Legislativo que designará o novo primeiro-ministro do país. As 9.263 zonas eleitorais abriram suas portas por volta das 7 horas (3 horas em Brasília) e ficarão abertas até as 22 horas (18 horas de Brasília). Veja também: Eleições de hoje em Israel devem resultar em gabinete conservador Decepção causa guinada à direita, diz historiador Voto de protesto impulsiona ícone da ultradireita em IsraelLivni tenta reagir com ''fator Shalit''  Acordo por Shalit depende da soltura de 4 presos do Hamas Bastidores da cobertura do 'Estado' em Israel Veja os principais candidatos a premiê de Israel Conheça os principais partidos israelenses  O dia amanheceu chuvoso em várias cidades de Israel, o que pode diminuir a participação dos eleitores, em um pleito em que serão escolhidos legisladores para as 120 cadeiras da Knesset, o Parlamento unicameral. A votação é facilitada pelo governo que dá transporte gratuito aos eleitores que se encontram fora de sua circunscrição eleitoral e toma medidas especiais para que militares e os israelenses em missão oficial no exterior possam votar. Os favoritos são Binyamin "Bibi" Netanyahu, líder do partido de direita Likud, e Tzipi Livni que, apesar de ser do partido de centro Kadima, também é originária do Likud. Bibi obteria entre 25 e 27 deputados, e a chanceler e chefe do centrista Kadima teria entre 23 e 25 cadeiras. O terceiro na preferência do eleitorado é a grande surpresa dessas eleições: o imigrante russo ultranacionalista Avigdor Lieberman, do partido Israel Beiteinu (Israel Nossa Casa). Os resultados oficiais serão divulgados no próximo dia 18 de fevereiro e o parlamento formado após as eleições entrará, de forma interina, em 2 de março. O presidente manterá consultas com os diferentes partidos e deverá dar a missão de formar o governo ao candidato em melhor posição para consolidar uma maioria de 61 deputados. Para essa tarefa, o escolhido terá 28 dias, ampliáveis a mais duas semanas. Fronteira - Os militares israelenses anunciaram o fechamento da fronteira com a Cisjordânia da meia-noite de segunda-feira até a meia-noite de terça-feira, barrando palestinos de entrarem em Israel, exceto para tratamentos médicos urgentes.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.