Israel aceita atenuar bloqueio de Gaza após protestos

Israel autorizou a entrada de algunscarregamentos de combustíveis e remédios na Faixa de Gaza apartir de terça-feira, atenuando assim um bloqueio queprovocava protestos internacionais. A decisão desta segunda-feira do ministro israelense daDefesa, Ehud Barak, permitirá que a União Européia retome ofornecimento de combustível à principal usina elétrica de Gaza,que desligou duas turbinas na segunda-feira, deixando grandeparte do território às escuras. Israel fechou sua fronteira com Gaza na sexta-feira,naquilo que disse ser uma tentativa de fazer militantespalestinos pararem de disparar foguetes contra o sul do país.Grandes áreas de Gaza, onde vivem 1,5 milhão de pessoas,perderam energia elétrica. O Ministério da Defesa disse que será autorizado paraentregar diesel e gás de cozinha. Uma fonte da chancelariadisse, porém, que continuam em vigor as restrições para agasolina. Agências humanitárias internacionais haviam alertado que oshospitais da Faixa de Gaza ficariam sem remédios e energia empoucos dias caso fossem mantidas as restrições fronteiriçasimpostas na sexta-feira. Israel diz que o bloqueio visa impedir militantes delançarem foguetes a partir da Faixa de Gaza, que é governadapelo grupo islâmico Hamas. Ainda não está claro se Barak vai permitir exportaçõesadicionais de combustível e abastecimento médico para Gaza, queos islâmicos do Hamas tomaram em julho depois de enfrentaremtropas leais ao presidente palestino, Mahmoud Abbas. Autoridades do governo israelense disseram que futurasexportações dependeriam das necessidades humanitárias de Gaza edo número de foguetes disparados por militantes palestinoscontra o Estado judeu. "Não estamos nos comprometendo com a frequência em quevamos fazer isso", disse o porta-voz do Ministério da Defesa,Shlomo Dror. Barak afirmou que Israel não diminuiria a pressão sobre osmilitantes. "Vamos fazer tudo para que eles entendam, vamosfazer o que precisar para restaurar a tranquilidade", disse. Além dos 2,2 milhões de litros de combustível industrialpara as instalações elétricas, Israel permitirá a entrada de500 mil litros de diesel para geradores e um fornecimento degás de cozinha, disse o porta-voz do Ministério do Exterior,Arye Mekel. Israel também permitirá a entrada de 50 caminhões comalimentos e medicamentos no território, mas as restrições paragasolina de carros será mantida. "Até onde eu saiba, todos os residentes de Gaza podem andare não têm combustível para os seus carros porque têm um regimeterrorista assassino que não permite que as pessoas no sul deIsrael vivam em paz", disse o premiê Ehud Olmert, antes de adecisão de Barak ser anunciada. REUTERS MS ES

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.