Israel aguarda fotos de soldado em posse do Hamas desde 2006

Os israelenses esperam para a sexta-feira as primeiras fotos de um soldado preso desde 2006 na Faixa de Gaza, dominada pelo Hamas, como parte de um acordo no qual Israel deve libertar 20 mulheres palestinas da prisão.

ALLYN FISHER-ILAN, REUTERS

01 de outubro de 2009 | 20h32

A aguardada entrega de um vídeo mostrando Gilad Shalit, que seria a primeira prova de que ele está vivo, é um passo em direção a um possível acordo mais amplo para trocá-lo por centenas de prisioneiros do Hamas e suavizar o bloqueio israelense à Faixa de Gaza.

Sob o acordo, possibilitado por mediadores egípcios e alemães, 19 palestinas serão libertadas em Gaza e na Cisjordânia na sexta-feira, e a 20a mulher no domingo.

Uma fonte dos militantes de Gaza disse que o vídeo será entregue a Israel "assim que as prisioneiras forem entregues nos postos de controle perto de suas casas", como acordado com o mediador alemão.

Autoridades disseram que o mediador já assistiu ao vídeo e acredita que mostra Shalit nas últimas semanas. A família de Shalit deve ver a gravação antes de ser divulgada ao público na sexta-feira.

Shalit, hoje com 23 anos, foi sequestrado por militantes islâmicos em uma invasão a Israel durante a qual dois soldados e dois atacantes foram mortos. Shalit também tem nacionalidade francesa.

Israel detém mais de dez mil palestinos em suas prisões. O Hamas negocia a libertação de centenas de seus membros em troca de Shalit, alguns deles envolvidos em ataques mortais e que Israel prometera não libertar.

Israel disse que nenhuma das mulheres a serem libertadas estiveram diretamente envolvidas com mortes ou cumpriam sentenças superiores a dois anos.

Tudo o que sabemos sobre:
ORMEDSOLDADOFOTOS*

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.