Israel anuncia cessar-fogo; Hamas diz que continua a lutar

O Gabinete do governo israelense aprovou neste sábado a proposta de cessar-fogo unilateral na Faixa de Gaza, informou o primeiro-ministro de Israel, Ehud Olmert. O Hamas, no entanto, afirmou que continuará a lutar. Segundo Olmert, Israel conseguiu atingir todos os seus objetivos no conflito contra o Hamas, uma vez que o grupo palestino foi duramente atingido e sua capacidade de lançar foguetes contra o território israelense foi severamente limitada. A ofensiva israelense em Gaza durou cerca de três semanas e matou mais de 1.200 palestinos. "As condições foram criadas e os nossos objetivos, como declarado, foram conquistados totalmente", afirmou. O cessar-fogo, que, segundo Olmert, foi uma resposta ao apelo do Egito, terá início no domingo. Olmert disse que as tropas israelenses permanecerão em Gaza por enquanto e o Hamas poderá ser "surpreendido novamente" se voltar atacar Israel. Em Gaza, no entanto, o Hamas afirmou que o anúncio não colocará fim ao conflito. "Um cessar-fogo unilateral não significa o fim da agressão (israelense) e o fim do sítio (causado pelo fechamento das fronteiras entre Israel e Gaza). Isso (o cerco) constitui um ato de guerra, e então isso não significa o fim da resistência", afirmou à Reuters Fawzi Barhoum, porta-voz do grupo palestino.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.