Israel apresenta plano para melhoria das Forças Armadas

Israel apresentou na segunda-feira umplano abrangente para reformular suas Forças Armadas,refletindo o desgaste da guerra do ano passado no Líbano e apossibilidade de um eventual confronto com Irã e Síria. Animado pela promessa dos EUA, no mês passado, de ampliarpara 3 bilhões de dólares anuais as linhas de crédito para finsde defesa para Israel, o general Gabi Ashkenazi, comandante dasForças Armadas, delineou os programas de melhoria e treinamentopara as forças aéreas, navais e terrestres. O projeto, que ainda depende de aval do governo, vai"reforçar as Forças de Defesa de Israel e sua adequação paralidar com os desafios de segurança que o país enfrentará nospróximos cinco anos", disse o general em nota. Israel gasta cerca de 10 por cento do seu Produto InternoBruto, ou 15 bilhões de dólares, em suas Forças Armadas,tradicionalmente consideradas as melhores do Oriente Médio. Masreveses na ofensiva militar contra a guerrilha libanesaHezbollah levaram a apelos por uma revisão geral. Israel vê no Irã e em seu programa nuclear uma "ameaçaexistencial". O Irã nega ter armas nucleares, ao contrário doEstado judeu, que supostamente as possui. Ashkenazi disse que Israel encomendaria alguns caças deataque norte-americanos F-35, que devem chegar ao mercado emuma década. Até lá, Israel vai modernizar sua frota de jatos,helicópteros de combate e aviões não-tripulados. Israel também planeja complementar suas unidades Arrow 2,destinadas a abater mísseis balísticos, como o Iron Dome, umsistema feito para conter mísseis de curto alcance, comoaqueles usados pelo Hezbollah e por militantes palestinos naFaixa de Gaza.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.