Israel aprova retorno de 41 refugiados palestinos do Iraque

Eles serão registrados como cidadãos normais da ANP, e não como refugiados, pelo potencial jurídico que acarretaria

Efe,

30 Julho 2007 | 05h06

As autoridades israelenses aprovaram o retorno de 41 refugiados palestinos que viviam no Iraque em um gesto de boa vontade para o primeiro-ministro da Autoridade Nacional Palestina (ANP), Salam Fayyad.   O histórico destes 41 palestinos está sendo analisado pelos organismos de segurança - para verificar se algum deles participou de ações violentas no passado - e o Ministério de Exteriores, disseram ao jornal Ha'aretz fontes do Escritório do Primeiro-ministro.   O Ministério de Exteriores teme que a medida seja interpretada como uma permissão de volta aos refugiados palestinos, uma das questões mais espinhosas do conflito palestino-israelense, e por isso informou à ONU que o passo não deve ser visto como um precedente.   O Ha'aretz indica que os 41 palestinos deverão ser registrados como cidadãos normais da ANP, e não como refugiados, pelo potencial jurídico que isso poderia acarretar a Israel.   No mesmo processo, as autoridades israelenses rejeitaram o pedido de outros 10 refugiados que queriam retornar à Faixa de Gaza.   Milhares de palestinos que viviam no Iraque se viram obrigados a abandonar suas casas devido às lutas étnicas nesse país, ficando em campos de refugiados nas fronteiras com Jordânia e Síria.   Há dois anos e meio Israel rejeitou um pedido da ONU para que aceitasse os palestinos nos territórios da ANP.

Mais conteúdo sobre:
retorno de refugiados palestinos Israel

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.