Israel boicotará conferência de direitos humanos da ONU

Livni diz que cúpula é preconceituosa com Estado judeu; país abandonou última reunião na metade

Associated Press,

19 de novembro de 2008 | 17h49

A chanceler israelense Tzipi Livni disse nesta quarta-feira, 19, que seu país irá boicotar uma conferência sobre direitos humanos da ONU no ano que vem. Ela argumentou que a Conferência Mundial Contra o Racismo é preconceituosa com Israel e pouco menos que um fórum que ajuda a deslegitimar o Estado judeu. A reunião está marcada para abril de 2009 em Genebra, na Suíça. Veja também:Israel não conta com Obama nas negociações de paz, diz Livni Livni fez a declaração em um encontro de líderes judeus americanos em Jerusalém. A conferência da ONU segue um encontro feito em 2001 na África do Sul. Nessa ocasião, participantes judeus disseram que foram silenciados e ameaçados por ativistas árabes. Israel e Estados Unidos saíram da reunião em 2001 na metade devido a um rascunho de resolução que comparava o sionismo - movimento que defende o Estado judeu - com o racismo. A resolução nunca foi adotada.

Tudo o que sabemos sobre:
IsraelONU

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.