Informação para você ler, ouvir, assistir, dialogar e compartilhar!
Estadão Digital
Apenas R$99,90/ano
APENAS R$99,90/ANO APROVEITE

Israel bombardeia Gaza,esforços por trégua ganham fôlego

Forças israelenses aprofundaram na quinta-feira sua incursão na Cidade de Gaza e bombardearam bairros densamente povoados, ampliando a pressão sobre o grupo islâmico Hamas enquanto ambas as partes avaliam uma proposta de cessar-fogo. Pelo menos 15 palestinos foram mortos nos ataques, segundo fontes médicas, elevando a 1.055 o total de vítimas fatais desde o início da ofensiva israelense, em 27 de dezembro, de acordo com o Ministério da Saúde de Gaza, controlado pelo Hamas. Uma entidade palestina de direitos humanos afirmou que 670 dos mortos são civis. No mesmo período, Israel registrou 13 mortes - sendo 3 civis, atingidos por foguetes do Hamas e 10 soldados. Aterrorizados, moradores de Gaza se aglomeraram em casas precárias demais para protegê-los. Dezenas foram vistos fugindo a pé, enquanto as explosões erguiam colunas de fumaça. "É uma catástrofe", disse uma mulher, afastando-se rapidamente da área e levando uma criança nos braços, enquanto duas outras corriam para acompanhá-la. "Pegamos nosso dinheiro e os passaportes. Temos de ter alguma identificação conosco, para o caso de sermos mortos", disse ela. "O Hamas pode cantar vitória se quiser, mas nós só precisamos que esse derramamento de sangue termine." Um importante diplomata ocidental disse que Israel parece estar tentando fazer os últimos avanços no terreno antes da trégua. "É uma clássica estratégia israelense", disse o diplomata. O ministro israelense da Defesa, Ehud Barak, disse à imprensa que as forças do país irão "lutar até o último minuto". Grande parte dos ataques se concentra no bairro de Tel Al Hawa. A UNRWA (agência da ONU que presta assistência humanitária aos palestinos) disse que sua sede foi atingida duas vezes, e que três funcionários ficaram feridos. As forças israelenses sitiaram a cidade, de 500 mil habitantes, durante dias. Tanques fizeram incursões até o centro para testar a resistência do Hamas e de outros grupos da resistência, mas em geral Israel evitou uma invasão total nesse emaranhado urbano densamente povoado. (Reportagem adicional de Allyn Fisher-Ilan e Adam Entous em Jerusalém)

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.