Israel celebra 60 anos em clima político sombrio

Israel celebrou na quinta-feira o seu60o aniversário com churrascos e exibição de poderio militar,mas a festa foi ofuscada pela investigação que pode derrubar opremiê e destruir novamente o processo de paz, algo que o paísnunca conheceu. Bandeiras azuis e brancas com a estrela de Davi tremulavamem carros, telhados e varandas. Uma esquadrilha da fumaça faziao número 60 no céu, pára-quedistas caíam no mar, e na TV umgame-show bíblico destacava o lugar da religião judaica numEstado que foi fundado graças a um movimento laico, o Sionismo. A guerra ou a iminência dela pairou sobre cada dia daexistência do Estado judeu desde que David Ben Gurion declarousua criação, em 1948, como refúgio para sobreviventes doHolocausto nazista. Na quinta-feira, as famílias se reuniram para celebrar oorgulho nacional e o lado positivo da história. Para TzviyaGilboa, 57 anos, que aproveitava o feriado ensolarado numapraia de Tel Aviv, foi "um dia emocionante". "Qualquer coisaligada a Israel me toca", disse. Keren Yohanan, 35 anos, dizia num churrasco na casa de umprimo, perto de Jerusalém, que estava feliz com a data e acimade tudo feliz "com o que temos em Israel". Fogos de artifícios, espetáculos de luzes e desfilesmilitares deram início às celebrações na quarta-feira, e oprimeiro-ministro Ehud Olmert, que busca um acordo que leve àconciliação de Israel com um Estado palestino, afirmou que seupaís está ávido por encerrar um conflito que já dura tantasdécadas. (Reportagem adicional de Brenda Gazzar em Jerusalém, AvidaLandau e Ari Rabinovitch em Tel Aviv e Mohammed Assadi emBelém)

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.