Israel começa a libertar presos palestinos para ajudar Abbas

Movimento ocorre antes de conferência patrocinada pelos EUA sobre futuro Estado palestino

Reuters,

01 de outubro de 2007 | 09h24

Israel começou a soltar dezenas de presos palestinos nesta segunda-feira, 1, em uma tentativa de ajudar o presidente Mahmoud Abbas em sua luta contra os rivais do grupo Hamas e antes de uma conferência patrocinada pelos EUA sobre um futuro Estado palestino.  Após um atraso de diversas horas, 57 presos foram levados de ônibus para fora do complexo de Kitsyot, rumo à Cisjordânia, informou o serviço prisional israelense.  Israel havia programado soltar outros 29 presos da Faixa de Gaza, mas eles ainda estão em Kitsyot. De acordo com autoridades, houve um problema técnico, mas a imprensa israelense disse que o presidente Shimon Peres não assinou os documentos necessários de perdão a tempo. Todos os prisioneiros são membros do Fatah - grupo secular ligado a Abbas - ou de outras facções menores e cumpriam pena por ataques que não mataram israelenses.  "Espero que haja paz e tranqüilidade", disse um preso de Gaza à TV Reuters enquanto aguardava ser liberado de Kitsyot.

Tudo o que sabemos sobre:
IsraelFatahHamasGazaAbbaspresos

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.