Israel compara violação de dados de cartões a ato terrorista

O governo de Israel disse neste sábado que a publicação online de milhares de dados dos cartões de crédito de seus cidadãos por um hacker que se declarou Saudita é comparável a um ato terrorista e prometeu revidar.

REUTERS

07 de janeiro de 2012 | 14h32

O roubo dos dados, focado principalmente em site comerciais, foi um dos piores vistos em Israel. Se, por um lado, os danos financeiros foram reportados como sendo mínimos, por outro as violações aumentaram as preocupações acerca do potencial uso, pelos inimigos de Israel, das informações roubadas.

Esses tipos de ataques são "uma violação da soberania comparável a uma operação terrorista, e devem ser tratados desse modo", disse o vice-ministro das Relações Exteriores de Israel, Danny Ayalon, durante discurso em um centro comunitário.

(Por Dan Williams)

Tudo o que sabemos sobre:
ISRAELCARTOESATAQUE*

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.