Israel considera plano para reduzir restrições na Cisjordânia

Lista deve ser apresentada ao premiê israelense e ao ministro da Defesa antes do encontro com Abbas

Adam Entous, da Reuters,

30 Julho 2007 | 07h40

Israel prepara-se para abrandar alguns dos bloqueios em estradas e postos de controle que restringem o trânsito de palestinos na Cisjordânia. A iniciativa é um gesto de boa-vontade com o presidente Mahmoud Abbas, afirmaram nesta segunda-feira autoridades. Segundo fontes de segurança, uma lista de barreiras e restrições está sendo compilada para ser apresentada ao primeiro-ministro israelense, Ehud Olmert, e ao ministro da Defesa, Ehud Barak, para aprovação final. "A urgência é clara para todos. Estas medidas devem ser adotadas logo", disse uma fonte de alto escalão, sob condição de manter o anonimato. Sob pressão dos EUA, Israel deu passos iniciais para tentar ajudar Abbas e o governo que ele formou na Cisjordânia depois da tomada da Faixa de Gaza pelo grupo Hamas, no mês passado. Entre outras ações, o Estado judaico libertou prisioneiros palestinos e liberou impostos palestinos congelados. O Ministério das Relações Exteriores israelense disse que o governo considera um pedido de Abbas para permitir que 41 palestinos vivendo no Iraque possam mudar para a Cisjordânia. De acordo com autoridades, no entanto, trata-se de um gesto simbólico, que não significa que Israel está mudando sua política que impede o retorno de refugiados palestinos. Olmert e Abbas devem se encontrar na próxima semana, provavelmente na cidade de Jericó, na Cisjordânia. Autoridades israelenses disseram que Olmert está disposto a discutir fronteiras e outros assuntos-chave em "termos gerais" que poderiam levar a um "acordo de princípios" para o estabelecimento de um Estado palestino.

Mais conteúdo sobre:
Israel Cisjordânia Olmert

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.