Israel deporta suposto espião do Hezbollah no domingo

Cruz Vermelha e advogado confirmam entrega de cidadão israelense em meio a rumores de troca de presos

Agência Estado e Associated Press,

28 de maio de 2008 | 13h55

Um cidadão israelense condenado por espionar para o Hezbollah será deportado para o Líbano no domingo. A informação foi divulgada nesta quarta-feira, 28, pelo advogado de Nasim Nisr e por funcionários da Cruz Vermelha.   Veja também:   Presidente libanês pede que premiê forme governo   Nisr, de 39 anos, cidadão israelense de ascendência libanesa, foi preso em 2002 e condenado a seis anos de prisão. Ele, que perderá a cidadania israelense, será liberado no domingo e levado por Israel até a fronteira com o Líbano. A deportação ocorre em meio a rumores de uma troca de prisioneiros entre Israel e o Hezbollah. A operação incluiria o retorno de dois soldados israelenses, capturados em 2006, e o prisioneiro libanês que Israel mantém por mais tempo, Samir Kuntar.   O advogado de Nisr afirmou que a deportação pode ser um passo inicial para uma troca de prisioneiros mais ampla entre Israel e o grupo libanês. Contudo, funcionários israelenses negaram qualquer relação entre os fatos.   Na segunda-feira, o líder do Hezbollah, Hassan Nasrallah, disse que a troca de prisioneiros ocorreria "muito em breve". Acredita-se que Israel tenha sete libaneses em suas prisões. O Hezbollah mantém detidos dois soldados israelenses, capturados em uma incursão no território do país vizinho - essa operação foi o estopim para a guerra de um mês entre Israel e o grupo xiita, em 2006.   Uma porta-voz do Comitê Internacional da Cruz Vermelha informou que a entidade auxiliará na transferência de Nisr. Segundo a Cruz Vermelha, a operação ocorrerá às 11 horas locais do domingo, na passagem de Naqoura.

Tudo o que sabemos sobre:
LíbanoIsraelHezbollah

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.