Israel descarta trégua em Gaza se soldado não for libertado

Israel disse neste sábado que não concordará com um cessar-fogo com o Hamas, que controla a Faixa de Gaza, a não ser que um soldado israelense capturado pelos islâmicos seja solto. O gabinete do primeiro-ministro Ehu Olmert informou num comunicado que "a posição do primeiro-ministro é a de que Israel não chegará a um entendimento com relação a uma trégua antes da soltura de Gilad Shalit". Israel quer chegar a qualquer acordo de cessar-fogo com o Hamas em Gaza para libertar o soldado Shalit, mantido em território palestino desde 2006, quando foi sequestrado num ataque na fronteira. O Egito está mediando um cessar-fogo a longo prazo entre Israel e o Hamas. A imprensa israelense informou que um significante progresso foi conseguido em negociações indiretas. O porta-voz do Hamas em Gaza Fawzi Barhoum disse à Reuters que as negociações mediadas pelo Egito foram paralisadas por desacordo sobre a duração do cessar-fogo. Israel quer uma trégua permanente, enquanto o Hamas quer pelo período de 18 meses, podendo ser estendido. "Uma vez que este obstáculo seja superado um anúncio será feito", afirmou Barhoum. O Hamas recusou as exigências israelenses de incluir o destino de Shalit no acordo de cessar-fogo. O grupo islâmico quer que Israel abra todas as suas fronteiras com a Faixa de Gaza como condição para negociações sobre a soltura de Shalit. O Hamas exigiu a libertação de centenas de palestinos presos em cadeias de Israel em troca de Shalit. (Reportagem de Joseph Nasr em Jerusalém e Nidal al-Mughrabi em Gaza)

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.