Israel detém político do Hamas em Jerusalém e quer deportá-lo

A polícia israelense prendeu na quarta-feira um parlamentar palestino do Hamas em Jerusalém Oriental. Segundo os policiais, ele estava na cidade ilegalmente, pois Israel havia revogado sua autorização de residência por ele ter se filiado ao partido linha-dura islâmico.

DAN WILLIAMS, REUTERS

30 de junho de 2010 | 15h58

A prisão de Muhammad Abu-Teir, que deve comparecer a um tribunal israelense na quinta-feira, provavelmente aumentará as críticas internacionais ao projeto do Estado judaico de deportá-lo de Jerusalém Oriental junto com outros três políticos do Hamas.

Israel tomou a área junto com a Cisjordânia e Gaza na guerra de 1967, e agora considera como toda a cidade, sem divisões - situação que não tem o reconhecimento internacional e tem travado os esforços para retomar as conversações de paz com os palestinos.

Ahmad Attoun, outro parlamentar do Hamas que corre o risco de expulsão, afirmou que ele estava conduzindo Abu-Teir no bairro de Sur Baher, onde este mora, quando foram parados pela polícia, que pedia para ver os documentos de identidade expedidos pelos israelenses.

"Nós lhes dissemos que não temos identificações. Eles prenderam Muhammad Abu-Teir e me disseram que tenho mais dois dias para ficar em Jerusalém", disse Attoun à Reuters.

Um porta-voz da polícia israelense disse que Abu-Teir foi preso "por não cumprir com a ordem judicial exigindo que ele saísse de Jerusalém dentro do período indicado pela corte".

Abu-Teir está entre as dezenas de políticos do Hamas provenientes de Jerusalém e da Cisjordânia, cercada por Israel em 2006 depois que o grupo islâmico, que rejeita as estratégias de paz do presidente palestino Mahmoud Abbas, venceu uma eleição legislativa.

(Reportagem adicional de Mohammed Assadi em Ramallah)

Tudo o que sabemos sobre:
ORMEDPRISAOPOLITICOHAMAS*

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.