Israel deve boicotar sessão da ONU sobre direitos humanos

Israel deve boicotar na semana que vem uma sessão do Conselho de Direitos Humanos da ONU, apesar de os Estados Unidos terem pressionado seu aliado a participar da discussão, disse a embaixadora norte-americana na quinta-feira.

STE, Reuters

24 de janeiro de 2013 | 20h26

A situação dos direitos humanos em Israel e nos territórios ocupados deve ser debatida na terça-feira, como parte da chamada "revisão universal periódica", um processo de escrutínio ao qual todos os países da Organização das Nações Unidas são submetidos.

" sinalizaram que querem que isso seja adiado. É muito improvável que eles participem no dia 29", disse Eileen Chamberlain Donahoe, embaixadora dos EUA para questões de direitos humanos, a jornalistas em Genebra.

Se a revisão ocorrer, Israel deve enfrentar críticas por suas práticas nos territórios palestinos, incluindo o tratamento dado a presos, a expansão dos seus assentamentos e o bloqueio naval contra os 1,6 milhão de habitantes da Faixa de Gaza.

Prevê-se também que vários Estados árabes denunciem os bombardeios israelenses de novembro contra Gaza, feitos em reação aos foguetes disparados por militantes do território contra Israel.

A última revisão desse tipo sobre Israel foi em dezembro de 2008, quando o país participou. Um boicote seria algo sem precedentes, e diplomatas temem que outros países sigam esse exemplo para evitarem se expor.

Israel suspendeu suas relações com o Conselho em maio de 2012, dizendo ser vítima de uma constante discriminação. Um porta-voz da ONU disse que o Estado judeu comunicou informalmente ao presidente do Conselho que gostaria de adiar o processo de revisão neste ano.

Tudo o que sabemos sobre:
ISRAELONUBOICOTE*

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.