Israel diz que acordo com palestinos pode não sair em 2008

Premiê afirma que o governo está fazendo todos os esforços para solucionar o impasse histórico na região

REUTERS

26 de fevereiro de 2008 | 07h50

O primeiro-ministro israelense, Ehud Olmert, mostrou nesta terça-feira, 26, ceticismo sobre a possibilidade de um acordo de paz entre Israel e os palestinos, embora tenha reiterado que fará todos os esforços para alcançar uma solução que leve a criação um Estado para o grupo e encerrar o conflito de décadas na região.   "Temos o desejo de chegar a um acordo em 2008. Não tenho certeza de que conseguiremos, mas estamos dispostos a dar um passo gigante rumo ao fim desta disputa de uma vez por todas."   "Estamos fazendo esforços excepcionais para resolver todas as diferenças com nossos vizinhos e resolver disputas pendentes com nossos vizinhos palestinos", disse Olmert durante uma conferência de negócios em Tóquio.   Na semana passada, Olmert e o presidente palestino, Mahmoud Abbas, concordaram em acelerar as conversas de paz patrocinadas pelos EUA, depois que críticos acusaram Israel de não se empenhar suficientemente para chegar a um acordo neste ano.

Tudo o que sabemos sobre:
Ehud OlmertIsraelpalestinos

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.