Israel diz que bloqueou por via diplomática navio líbio que ia para Gaza

Cargueiro de ONG queria furar o bloqueio a Gaza e levar suprimentos para os palestinos

Estadão.com.br

10 de julho de 2010 | 08h03

JERUSALÉM - Israel afirmou neste sábado, 10, que conseguiu evitar, graças a diplomacia, um projeto líbio de enviar em cargueiro da Grécia para romper o bloqueio israelense da Faixa de Gaza.

 

Veja também:

Navio com ajuda a Gaza se prepara para partir da Grécia

 

"O ministro das Relações Internacionais, Avigdor Lieberman, se reuniu em várias ocasiões nos últimos dias com os ministros das Relações Exteriores da Grécia e Moldávia, e chegaram a um acordo sobre o barco líbio", indicou a chancelaria israelense em um comunicado.

 

Após essas conversas, o ministério considera que "o cargueiro não chegará a Gaza", assinalou o texto.

 

Na sexta-feira, uma organização de caridade dirigida por Seif Al Islam Kadhafi, filho do líder líbio Muammar Kadhafi, declarou que enviaria neste sábado um cargueiro a Gaza vindo da Grécia, equipado com ajuda humanitária.

 

O barco em questão era o cargueiro "Amalthea", de bandeira Moldova.

 

Segundo as autoridades israelense, que não disseram mais detalhes, as autoridades da Moldávia entraram em contato com o capitão do cargueiro, que aceitou desviar o barco para o porto egípcio de El Arish.

 

No sábado, a imprensa israelense indicou que Israel pediu à ONU para intervir para impedir o projeto.

 

No último dia 31 de maio, uma frota internacional pró-Palestina com material humanitário destinado a Gaza foi atacada pelo exército israelense em águas internacionais, em uma operação na qual morreram nove cidadãos turcos.

 

Após o escândalo internacional provocado por este ataque, Israel decidiu abrandar o bloqueio imposto a Gaza desde 2007, quando o movimento islâmico Hamas tomou controle do enclave palestino.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.