Israel diz que militantes do Hamas estão por trás de sequestro de jovens

Israel disse neste domingo que militantes do Hamas sequestraram três adolescentes israelenses na Cisjordânia ocupada e alertou para “sérias consequências”, ao mesmo tempo em que fazia buscas e prendia dezenas de palestinos.

JEFFREY HELLER, REUTERS

15 de junho de 2014 | 12h35

Os jovens, dois de 16 anos e um de 19 anos, desapareceram na quinta-feira à noite na Cisjordânia, onde estudam em colégio religioso num assentamento judaico.

“Esses adolescentes foram sequestrados, e esses sequestros foram feitos por integrantes do Hamas”, disse a jornalistas o primeiro-ministro israelense, Benjamin Netanyahu, acusando o grupo islâmico palestino que controla a Faixa de Gaza.

Ninguém assumiu responsabilidade pelo ocorrido. Perguntado sobre as alegações do primeiro-ministro, Sami Abu Zuhri, porta-voz do Hamas na Faixa de Gaza, eximiu-se de negar ou confirmar o envolvimento do grupo.

Desde que os três desapareceram, aparentemente quando pediam carona, o Exército de Israel tem feito buscas na cidade palestina de Hebron e outras vilas.

Num comunicado, os militares afirmaram que, como parte do esforço para encontrar os adolescentes, “aproximadamente 80 palestinos suspeitos foram detidos numa operação durante a noite”.

Autoridades palestinas dizem que mais de cem pessoas estão sob custódia de Israel e incluem pelos menos sete integrantes do Hamas do Parlamento Palestino e diversos presos recentemente libertados por Israel.

Israel identificou os estudantes como Eyal Yifrach, Gil-ad Sha'er e Naftali Frankel, que também tem cidadania norte-americana.

(Reportagem adicional de Ari Rabinovitch, Ali Sawafta e Nidal al-Mughrabi)

Tudo o que sabemos sobre:
ORMEDISRAELADOLESCENTES*

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.