Israel e Hamas acertam trégua em Gaza

Um cessar-fogo entre Israel e o Hamas,mediado pelo Egito, entra em vigor na quinta-feira, disse umaautoridade palestina, depois de ataques aéreos israelensesterem matado seis militantes armados na Faixa de Gaza. O funcionário de alto escalão, que está a par dasnegociações para a trégua, afirmou nesta terça-feira que asduas partes concordaram com um pacto de seis meses. Eleexpressou confiança em que a violência recente não vá retardaro início do acordo firmado para pôr fim ao derramamento desangue. "A implementação da trégua começará às 6h (zero hora nohorário de Brasília) de quinta-feira", disse o funcionário,falando sob a condição de manter o anonimato porque não estavaautorizado a anunciar o acordo. O cessar-fogo teria como objetivo pôr fim aos ataques defoguete e granadas de morteiro contra Israel a partir da Faixade Gaza, controlada pelo Hamas, e às incursões israelenses noterritório. O governo de Israel diz que manterá os preparativospara uma ampla ação militar, caso a trégua fracasse. Uma autoridade do Egito confirmou a informação dofuncionário palestino, segundo a agência de notícias egípciasMena (Middle East News Agency). Uma fonte do Hamas afirmou queo Egito fará o anúncio do acordo. Israel praticamente confirmou o período do cessar-fogo, aoqual se referiu como um arranjo informal para interromper oscombates. "O importante não são as palavras, mas as ações", disseMark Regev, um porta-voz do primeiro-ministro israelense, EhudOlmert. Regev repetiu as exigências de Israel de fim dos ataquescontra civis israelenses, interrupção do contrabando de armaspara Gaza e progresso na questão da libertação do soldadoisraelense Gilad Shalit, capturado por militantes de Gaza doisanos atrás. Funcionários israelenses e palestinos fizeram a ressalva noinício desta terça-feira de que em qualquer acordo de trégua obloqueio imposto por Israel à Faixa de Gaza depois que o Hamasassumiu o controle do território, um ano atrás, somente seriaaliviado gradual e parcialmente. O Ministério da Defesa de Israel informou que um de seusmais graduados funcionários, Amos Gilad, viajaria para o Cairona noite desta terça-feira para ser atualizado sobre oprogresso nas negociações sobre a trégua. ATAQUES AÉREOS Ao comentar os ataques aéreos contra Gaza, que os militaresisraelenses disseram ter como alvo militantes, um funcionáriodo alto escalão palestino disse à Reuters que os dois lados"estavam tentando mostrar que concordavam com a trégua pelaforça, e não como um ato de fraqueza". Uma autoridade israelense disse que o chefes do setor deinteligência do país estão céticos quanto à duração da trégua eIsrael deveria evitar lançar uma ampla operação militar naFaixa de Gaza. (Reportagem adicional de Dan Williams, em Jerusalém e daredação do Cairo.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.