Israel e Irã podem fechar pacto de não-agressão, diz jornal

Se Teerã garantir que não atacará, risco de conflito diminui, afirma diplomata que se reuniu com Netanyahu

estadao.com.br,

18 de fevereiro de 2010 | 12h49

O jornal russo Gazeta afirmou nesta quinta-feira, 18, que Israel e Irã poderiam firmar um pacto de não-agressão. O assunto teria sido discutido durante a visita do primeiro-ministro israelense, Benjamin Netanyahu, a Moscou, no começo da semana.

O diário citou uma fonte ciente das negociações. " Se o Irã assina um pacto que garante que não irá lançar um ataque nuclear contra Israel, a possibilidade de um conflito militar armado diminui", disse Yevgeny Satanovsky, diretor do Instituto Russo para o Oriente Médio, que teria se reunido com o premiê.

Na terça-feira, o presidente iraniano, Mahmoud Ahmadinejad, afirmou que Israel pretende lançar uma guerra nos próximos meses, mas não especificou contra quem seria o confronto.

VEJA TAMBÉM:
especialEspecial: O programa nuclear do Irã
especialCronologia: O histórico de tensões

Netanyahu, por sua vez, negou que o país tenha a intenção de começar uma guerra, mas o governo israelense já afirmou que não descarta atacar as instalações nucleares iranianos. O premiê defende a adoção de sanções severas ao Irã.

Hezbollah

Hoje, Ahmadinejad disse, em conversa com o líder do grupo Hezbollah, o xeque Hassan Nasrallah, que o Irã iria apoiar o movimento radical libanês em caso de um ataque israelense.

"Se os sionistas quiserem repetir seus erros serão expulsos da região, que ficará livre de seus métodos malignos para sempre", disse Ahmadinejad, segundo a agência estatal Irna.

Com informações da Associated Press

Tudo o que sabemos sobre:
RússiaIsraelIrã

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.