Israel e Palestina divergem sobre ordem da pauta de negociação

Países defendem ordem diferente para negociar os temas das reuniões em Sharm El Sheij e Jerusalém

Efe,

12 de setembro de 2010 | 06h29

As equipes negociadoras israelenses e palestinas não chegam a um acordo na agenda de negociações de paz para a próxima terça-feira, 14, na cidade egípcia de Sharm El Sheij e na quarta-feira, 15, em Jerusalém.

O principal ponto do debate é estabelecer a ordem na qual deverão os temas ser abordados: Israel defende que se trate primeiro sobre segurança e reconhecimento do caráter judio do estado, e os palestinos querem se fale em primeiro lugar do futuro estado palestino.

"Há uma agenda para Sharm El Sheij, mas é verdade que existem muitas diferenças e que todavia não decidiram com que dossiê vão começar a negociar", disse à Efe uma fonte oficial israelense que pediu para não ser identificada.

As duas equipes chegaram a um ponto morto na preparação do primeiro encontro entre o primeiro ministro israelense, Benjamin Netanyahu, e o presidente palestino, Mahmud Abas, depois do lançamento do novo diálogo de paz no último 2 de setembro em Washington, assegura o jornal Israel Hayom.

Segundo o diário, este estancamento nas reuniões preparatórias é o que tem levado a secretária de Estado dos Estados Unidos, Hillary Clinton, e o enviado especial norte-americano ao Oriente Médio, George Mitchell, a anunciar que acudirão as reuniões de Sharm El Sheij e Jerusalém.

O diário israelense Haaretz informa neste domingo sobre uma suposta crise de liderança e um grave enfrentamento entre o chefe negociador palestino, Saeb Erekat, e um dos sete membros da equipe negociador, Nabil Saath, mas fontes palestinas próximas a negociação negaram à Efe que exista alguma desavença.

Tudo o que sabemos sobre:
IsraelPalestinanegociação

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.