Israel e Suécia reprovam artigo 'antissemita' de jornal europeu

'Aftonbladet' publicou texto que acusa soldados israelenses de traficar órgãos de palestinos mortos

Associated Press,

19 de agosto de 2009 | 10h48

Autoridades de Israel e da Suécia mostraram-se descontentes nesta quarta-feira, 19, com um jornal sueco que publicou um artigo na segunda-feira sugerindo que soldados israelenses teriam matado palestinos e retirado seus órgãos.

 

O texto, publicado pelo diário Aftonbladet e intitulado de "Saqueiam os órgãos de nossos filhos", sugere uma ligação entre essas acusações e uma recente prisão de um judeu americano por tráfico de órgãos.

 

O porta-voz do governo de Israel, Daniel Seaman, disse que o artigo reproduzia "temas terríveis de antissemitismo", enquanto a imprensa o compararam a acusações medievais de que os judeus matavam crianças cristãs para usar seu sangue.

 

O texto apareceu ilustrado com as fotos de um palestino morto e com uma cicatriz cirúrgica ao longo do tronco, aparentemente depois de uma autópsia. Também há uma foto de jovens atirando pedras e outra de Levy Izhak Rosenbaum, um nova-iorquino acusado de comprar um rim de um israelense e vendê-lo a um paciente americano por US$ 160 mil (pouco mais de R$ 300 mil).

 

O autor do artigo, Donald Bostrom, baseou seu texto em declarações de palestinos em Gaza e na Cisjordânia, os quais identificou por seus nomes reais. Bostrom também citou a declaração de um porta-voz militar israelense que recusou a acusação e disse que é habitual realizar autópsias nos palestinos mortos pelo Exército.

 

Entrevistado pela Rádio Israel nesta quarta, Bostrom disse que as acusações o "preocupam até o ponto que devem ser investigadas", embora afirme que "não tem ideia se são certas ou não". Já o diretor do Aftonbladet, Jan Helin, não deu declarações sobre a publicação.

 

A embaixada sueca em Tel Aviv disse nesta quarta-feira que o artigo foi "tão chocante e repudiável para os suecos quanto para os cidadãos israelenses". "Demonstramos nosso apoio pela aversão expressada por representantes do governo, pela imprensa e pela opinião pública de Israel", comunicou a embaixada.

Tudo o que sabemos sobre:
SuéciaIsraelimprensaOriente Médio

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.