Gali Tibbon/Pool/ Reuters
Gali Tibbon/Pool/ Reuters

Israel eleva tom de ameaça ao Irã

Premiê Netanyahu cobrou de potências internacionais a imposição de um limite ao Irã

Reuters

11 de setembro de 2012 | 10h20

JERUSALÉM - O primeiro-ministro de Israel, Benjamin Netanyahu, elevou nesta terça-feira, 11, o tom das suas ameaças ao Irã, dizendo que as potências mundiais devem estabelecer um limite para o programa nuclear de Teerã, e em caso contrário não poderão exigir moderação do Estado judeu.

"O mundo diz a Israel: ‘Espere, ainda há tempo'. E eu digo: ‘Esperar o quê? Esperar até quando?'. Quem na comunidade internacional se recusa a estabelecer uma linha vermelha ao Irã não tem direito moral de impor um sinal vermelho a Israel", disse Netanyahu, em inglês, a jornalistas.

"Agora, se o Irã sabe que não há linha vermelha, se o Irã sabe que não há prazo, o que ele irá fazer? Exatamente o que está fazendo. Está continuando, sem qualquer interferência, rumo a obter a capacidade de armas nucleares e, de lá, bombas nucleares."

EUA, Israel e outros governos acusam o Irã de tentar desenvolver armas nucleares, mas Washington diz que ainda há espaço para resolver a questão pela via diplomática, enquanto Israel ameaça atacar instalações nucleares iranianas. Teerã insiste no caráter pacífico das suas atividades.

Nesta semana, a secretária norte-americana de Estado, Hillary Clinton, frustrou Israel ao dizer que os EUA não imporiam prazos para negociações com o Irã.

Tudo o que sabemos sobre:
ISRAELIRAAMEACAATAQUE

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.