Israel esnoba Carter e nega ajuda para segurança dele

Líderes israelenses ignoraram nasegunda-feira a visita do ex-presidente norte-americano JimmyCarter por causa de sua intenção de também se reunir com umdirigente do Hamas. Fontes norte-americanas disseram também queo serviço secreto israelense negou ajuda aos agentes dosEstados Unidos que o escoltam. "[Os agentes] não estão recebendo apoio da segurançalocal", disse uma fonte, sob anonimato. Uma fonte norte-americana descreveu a falta de cooperaçãodo serviço secreto israelense, o Shin Bet, como "semprecedentes". O Serviço Secreto dos EUA protege todos os atuaise ex-presidentes do país, assim como líderes israelenses emviagem aos EUA. Carter, que mediou o primeiro tratado de paz israelense comum vizinho árabe, o Egito, assinado em 1979, reuniu-se nodomingo com o presidente de Israel, Shimon Peres, cujo cargo éapenas simbólico. Mas a liderança política do país, inclusive oprimeiro-ministro Ehud Olmert, evitou contato com o Nobel daPaz Carter. O ex-presidente irritou o governo israelense ao afirmar quepretende visitar na Síria o líder exilado do Hamas, KhaledMeshaal, e por ter comparado, num livro de 2006, a ocupaçãoisraelense nos territórios palestinos a "um sistema deapartheid". Uma fonte israelense disse que o Shin Bet não protegeCarter nesta visita porque os EUA não pediram. Em resposta, a delegação de Carter, que até então preferiranão comentar, divulgou nota à Reuters dizendo o seguinte: "Adelegação de Carter consultou tanto o chefe do esquema desegurança do Serviço Secreto quanto o agente regional desegurança do Departamento de Estado, e ambos disseraminequivocamente que uma solicitação oficial de assistência foifeita." Fontes norte-americanas próximas ao assunto disseram que oShin Bet, que ajuda na proteção de dignitários em visita e estásob controle direto do gabinete de Olmert, não quis receber oencarregado do esquema de segurança de Carter no ServiçoSecreto, nem ajudar sua equipe com a assistência habitualnessas visitas. Israel e os EUA tentam isolar o grupo islâmico Hamas, quegoverna a Faixa de Gaza desde junho passado. O interlocutordeles entre os palestinos é o presidente Mahmoud Abbas, dafacção Fatah. O governo Bush e Israel são contra a visita de Carter aMeshaal. (Reportagem adicional de Brenda Gazzar e Louis Charbonneauem Nova York)

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.