Israel faz exercício militar em momento de tensão com Irã

Força Aérea israelense faz grande simulação de combate na mesma semana que Teerã testou míssil

Agência Estado e Associated Press,

22 de maio de 2009 | 11h19

  A Força Aérea israelense realizou um grande exercício de simulação de combate, em várias frentes, com inimigos que incluem o Irã. Funcionários da Defesa de Israel tornaram públicas as práticas nesta sexta-feira, 22. Os exercícios envolveram toda a Força Aérea e se preparavam para uma guerra total, incluindo ataques com mísseis em cidades israelenses, segundo os funcionários. As atividades duraram quatro dias e terminaram na quinta-feira.

 

Veja também:

Conheça os números do poderio militar do Irã

TV Estadão: Irã realiza teste com míssil

especial Especial: As armas e ambições das potências nucleares

blog Blog: Um quarto dos israelenses ameaça deixar o país se Irã adquirir uma arma nuclear 
 

Israel periodicamente realiza tais exercícios. Os militares afirmam que o mais recente deles faz parte de um programa anual de treinamento "de rotina". Porém dessa vez há um clima de crescente tensão entre o país e o Irã, por causa do programa nuclear do país persa. Israel acredita que a intenção dos iranianos é construir uma bomba, o que ameaçaria a existência do Estado israelense. Já Teerã afirma que somente tem fins pacíficos, como a produção de energia.

 

Israel diz preferir a diplomacia para enfrentar o problema. Mas não descarta uma ofensiva militar. Na quarta-feira, o Irã testou um novo foguete, chamado Sajjil-2, que segundo o país pode atingir alvos a 1.900 quilômetros de distância. O presidente iraniano, Mahmoud Ahmadinejad, sugeriu várias vezes que Israel deve ser "varrido do mapa" do Oriente Médio.

 

O ministro da Defesa de Israel, Ehud Barak, qualificou o exercício como "importante". "O que vimos fortalece nossa certeza de que temos pessoas de que podemos depender", afirmou Barak em comunicado.

 

O Irã foi um dos principais temas discutidos no encontro desta semana entre o primeiro-ministro israelense, Benjamin Netanyahu, e seu colega dos EUA, Barack Obama, no primeiro encontro dos dois no poder. Washington defende uma abordagem diplomática e ameaça Teerã com mais sanções, caso o país não interrompa seu programa nuclear.

Tudo o que sabemos sobre:
IsraelIrã

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.