Israel faz licitação para construir casas em Jerusalém Oriental

A expansão de assentamentos é considerada um dos obstáculos para a volta das negociações de paz

Efe

28 de dezembro de 2009 | 06h57

Israel inicia nesta segunda-feira, 28, uma licitação para a construção de aproximadamente 700 novas unidades de casas para colonos judeus em Jerusalém Oriental, território ocupado em 1967 e onde os palestinos pretendem estabelecer a capital de seu futuro Estado.

A licitação inclui a edificação de 377 novos apartamentos no bairro de Neveh Yaakov, 117 no assentamento de Har Homa e 198 no de Pisgat Ze'ev, informa a edição eletrônica do jornal "Yedioth Ahronoth".

O ministro da Habitação de Israel, Ariel Atias, disse a esse meio que a medida não tinha por objeto criar uma provocação e afirmou que "Jerusalém é a capital de Israel".

A expansão de assentamentos judaicos é considerada um dos principais obstáculos para o reatamento das negociações de paz entre israelenses e palestinos e foi duramente condenada pelos Estados Unidos e a União Europeia (UE).

Os ministros de Exteriores da UE pediram no começo do mês que Jerusalém seja a "capital futura de dois Estados" sob um estatuto que deve ser negociado entre Israel e os palestinos.

Israel ocupou a parte oriental da cidade na guerra de 1967 e posteriormente anexou o território, controlando como parte integrante de sua "capital", que não é reconhecida pela comunidade internacional.

Tudo o que sabemos sobre:
IsraelJerusalémPalestina

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.