Israel mantém congelamento de receitas da Autoridade Palestina

O governo de Israel decidiu nesta segunda-feira continuar a reter a transferência das receitas fiscais devidas à Autoridade Palestina, uma medida imposta há duas semanas após os palestinos ganharem a adesão plena à Unesco, a agência da ONU para cultura.

REUTERS

14 de novembro de 2011 | 12h29

Um funcionário do governo disse que os ministros do gabinete votaram por pequena margem a favor da continuação do congelamento sobre a transferência de receitas que Israel recolhe em nome da Autoridade Palestina.

O dinheiro, que inclui impostos sobre mercadorias importadas pelos territórios palestinos, corresponde a cerca de 100 milhões de dólares por mês.

"Não há mudança na posição israelense de uma retenção temporária de fundos", disse um segundo funcionário do governo israelense à Reuters.

A medida foi imposta em 1o de novembro, um dia após a Unesco ter concedido adesão plena aos palestinos, um movimento que enfrenta oposição de Estados Unidos e Israel como parte do esforço dos palestinos de alcançar o reconhecimento de um Estado unilateralmente diante da ausência de negociações de paz, congeladas há mais de um ano.

Yasser Abed Rabbo, um alto funcionário da Organização para Libertação da Palestina, disse que a decisão de segunda-feira, adotada enquanto enviados internacionais estão na região tentando retomar as negociações de paz, é "uma indicação de que Israel continua a sua guerra política e econômica contra a autoridade".

Tudo o que sabemos sobre:
ORMEDISRAELCONGELA*

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.