Ramzi Haidar/AFP
Ramzi Haidar/AFP

Israel mata filho de chefe militar falecido do Hezbollah na Síria, dizem fontes

Segundo site de notícias, o ataque tinha como alvo "terroristas que pretendiam atacar o país

REUTERS

18 de janeiro de 2015 | 15h52

Um ataque de um helicóptero israelense na Síria matou cinco membros do movimento Hezbollah do Líbano, incluindo o filho do líder militar do grupo, o falecido Imad Moughniyah, disseram fontes próximas ao Hezbollah, em um ataque que tem potencial para desencadear represálias.

O exército de Israel se recusou a comentar, mas o site de notícias do país, Ynet, citou uma fonte militar de Israel, dizendo que o ataque tinha como alvo "terroristas que pretendiam atacar Israel".

O ataque ocorre três dias depois que o líder do Hezbollah, Sayyed Hassan Nasrallah, disse que considerava os frequentes ataques israelenses na Síria como a principal agressão, e que a Síria e seus aliados tinham o direito de responder. O Hezbollah tem lutado com as forças do presidente Bashar al-Assad forces na Síria na guerra civil de cerca de quatro anos.

O canal de TV do Hezbollah, al-Manar, não mencionou Moughniyah, mas disse que o Hezbollah havia confirmado que um grupo de seus combatentes foram mortos quando foram checar uma área em Quneitra.

Ele disse que o Hezbollah iria anunciar os nomes dos mortos mais tarde neste domingo. Quneitra tem visto combates entre as forças leais a Assad e os rebeldes, incluindo combatentes ligados ao Al Qaeda.

(Por Oliver Holmes em Beirute e Dan Williams e Allyn Fisher-Ilan em Jerusalém)

Tudo o que sabemos sobre:
ISRAELSIRIAHEZBOLLAHATAQUE*

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.