Israel mata três palestinos em ataque no norte de Gaza

Pelo menos quatro pessoas foram feridas nos bombardeios; autoridades israelenses discutem ofensiva

Agência Estado e Associated Press,

10 de junho de 2008 | 11h03

Militantes palestinos dispararam pelo menos 20 morteiros contra Israel em menos de uma hora nesta terça-feira, 10. O ataque provocou represálias israelenses que causaram a morte de três rebeldes do Hamas em Gaza. A onda de violência estendeu-se em Gaza no momento em que a liderança de Israel discute a possibilidade de lançar uma nova ofensiva contra a facção islâmica ou se aceitam uma oferta de trégua feita pelo grupo.   Funcionários dos serviços locais de saúde disseram ainda que quatro pessoas ficaram feridas nos bombardeios contra Jebaliya, no norte de Gaza.  O braço armado do grupo islâmico Hamas confirmou que as três pessoas mortas militavam na organização.    Desde que Israel retirou suas tropas de Gaza, há três anos, militantes atacam o sul do país com foguetes e morteiros, provocando respostas israelenses. Os ataques foram intensificados após o Hamas tomar o controle do território palestino.   Porém, após a morte de quatro israelenses, autoridades israelenses estão sendo pressionados a tomar alguma decisão. Nesta quinta, o primeiro-ministro Ehud Olmert, o ministro da Defesa Ehud Barak e a ministra de Relações Exteriores Tzipi Livni se reuniram para discutir uma possível ofensiva.  Em paralelo, Israel e as milícias palestinas estão negociando há meses, com mediação egípcia, um acordo de cessar-fogo temporário nesse território, que, no entanto, não teve sucesso.    O ataque do Hamas promovido nesta terça aconteceu durante o encontro. O Exército afirmou que respondeu ao lançamento dos morteiros. Para o Hamas, a operação militar israelense "indica claramente que Israel não tem interesse em alcançar a calma", segundo afirmou o porta-voz do grupo Sami Abu Zuhri. "Eles deverão estar prontos para pagar o preço".

Mais conteúdo sobre:
Israelpalestinos

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.