Israel planeja ajuda a palestinos contra terremotos

Israel afirmou nesta terça-feira que estabeleceu um mecanismo para ajudar os palestinos em caso de terremoto grave. Um tremor de magnitude 5,5 sacudiu Israel e a Cisjordânia ocupada na sexta-feira, lembrando os moradores da sua vulnerabilidade, já que a região fica numa continuação do vale do Rift, falha geológica no nordeste da África.

DAN WILLIAMS, REUTERS

15 Maio 2012 | 17h34

"A premissa de trabalho é que eles (palestinos) não têm meios para lidar com um desastre desses por conta própria", disse Alon Rozen, diretor-geral do Ministério da Defesa Civil de Israel.

Como Israel controla a Cisjordânia, o país receberia um centro de distribuição de ajuda da Organização das Nações Unidas (ONU) em caso de terremoto grave, recebendo doações internacionais destinadas a israelenses e palestinos.

O último grande terremoto na região, em 1927, matou centenas de pessoas. Fatos como esses tendem a se repetir a cada 80 a 90 anos.

Rozen disse que Israel decidiu no ano passado dedicar mais atenção à preparação contra terremotos. "O aspecto da ajuda internacional para os palestinos foi algo com que tivemos de lidar. Em setembro passado, percebemos que era uma deficiência."

Um funcionário da ONU confirmou que houve coordenação com Israel, mas os palestinos disseram que não foram consultados.

"Pedimos às Nações Unidas anos atrás para criar corredores seguros para a recepção de ajuda estrangeira em caso de catástrofe", disse o general Ahmed Rezek, chefe da Defesa Civil palestina.

Um militar israelense de alta patente disse que suas forças estão de prontidão para prestar socorro a colonos judeus da Cisjordânia, mas não para ajudar a população palestina, que é muito maior.

"Caso eles solicitassem ajuda, tenho certeza de que ficaríamos felizes em fornecê-la", disse o oficial, que pediu anonimato.

O funcionário da ONU, que também não quis se identificar, afirmou que a solicitação palestina para assistência israelense na Cisjordânia seria o procedimento padrão nesses casos.

Mais complicada seria a situação da Faixa de Gaza, território palestino litorâneo que está sob governo do grupo islâmico Hamas, hostil a Israel.

Rozen disse que Israel já manteve discussões preliminares internas sobre como fornecer ajuda emergencial a Gaza, que está sob bloqueio comercial de Israel.

(Reportagem adicional de Ali Sawafta, em Ramallah)

Mais conteúdo sobre:
ORMED PALESTINOS TERREMOTO*

Encontrou algum erro? Entre em contato

publicidade

publicidade

publicidade

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.