Israel planeja construir mais 1.400 casas em assentamento na Cisjordânia

Israel planeja construir mais 1.400 casas em assentamentos na Cisjordânia ocupada, e vai anunciar os projetos na próxima semana, após a libertação de um grupo de presos palestinos, disse nesta sexta-feira uma autoridade do governo israelense.

Reuters

27 de dezembro de 2013 | 07h47

Os palestinos afirmam que qualquer expansão dos assentamentos israelenses em terras que são reivindicadas por eles para a formação de um Estado afetaria as negociações de paz mediadas pelos EUA, que foram retomadas em julho após três anos e meio interrompidas.

Israel deve libertar na semana que vem cerca de 20 prisioneiros palestinos, o terceiro grupo a ser solto desde o reinício das negociações.

Segundo a autoridade do governo, logo depois será anunciada a construção de 600 casas em Ramat Shlomo, um assentamento principalmente de judeus ultraortodoxos localizado em uma área da Cisjordânia que Israel anexou a Jerusalém, uma medida que não tem o reconhecimento internacional.

Outras 800 residência serão construídas em diversos outros assentamentos na Cisjordânia, que Israel também pretende manter em um eventual acordo de paz com os palestinos, disse a autoridade, que falou sob condição de anonimato.

Os palestinos veem os assentamentos como um obstáculo para obter um Estado ocupando a Cisjordânia, a Faixa de Gaza e Jerusalém Oriental, territórios que Israel tomou na guerra de 1967.

(Por Maayan Lubell)

Tudo o que sabemos sobre:
ORMEDISRAELASSENTAMENTOS*

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.