Israel prioriza segurança em retomada de negociações com palestinos

Diálogo indireto pode ser anunciado neste fim de semana, após visita de enviado dos EUA à região

estadão.com.br

07 Maio 2010 | 14h18

JERUSALÉM - Israel considera prioritárias as questões de segurança nas negociações indiretas de paz com os palestinos, que devem ser retomadas nos próximos dias com a mediação dos EUA, indicou nesta sexta-feira, 7, o presidente israelense, Shimon Peres, segundo a agência AFP.

 

Em uma entrevista nesta sexta-feira com o enviado especial dos EUA para o Oriente Médio, George Mitchell, Peres destacou "a importância primordial das questões de segurança" em todo acordo de paz com os palestinos. "A solução às questões de segurança têm maior importância", disse o israelense, lembrando que os palestinos continuaram a lançar foguetes mesmo depois de Israel ter se retirado da Faixa de Gaza unilateralmente em 2005.

 

A perspectiva de Peres reflete a posição do primeiro-ministro de Israel, Benjamin Netanyahu, que depois de manter consultas internas, disse que a questão da segurança deve encabeçar a agenda das negociações de paz. Peres acrescentou que seu país procura um "entendimento histórico com os palestinos, baseado na criação de um Estado palestino ao lado de Israel".

 

Depois de se encontrar com as lideranças israelense e palestina, Mitchell poderá anunciar formalmente a abertura das negociações indiretas no sábado À noite ou no domingo, antes de deixar a região, informou uma fonte palestina.

 

Já a Autoridade Nacional Palestina (ANP), presidida por Mahmoud Abbas, considera que as negociações indiretas devem abordar todos os problemas, em particular o das fronteiras. Os palestinos pedem que Israel se retire de todos os territórios ocupados, entre eles Jerusalém Oriental, onde deverá ser estabelecida a capital do futuro Estado Palestino.

 

Mitchell, que iniciou no começo da semana uma nova missão no Oriente Médio, conversou também com o chanceler israelense, Avigdor Lieberman. Ainda nesta sexta ele se reúne com Netanyahu e depois vai para Ramallah para conversar com Abbas e seu primeiro-ministro, Salam Fayyad.

 

No sábado, o comitê executivo da Organização para a Liberação da Palestina (OLP) se reunirá para ratificar o restabelecimento do diálogo com os israelenses, suspenso desde a ofensiva do Estado judeu em dezembro de 2008.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.