Israel reabre fronteira com Gaza e permite entrada de cimento

Reabertura acontece após confirmação de que palestinos não perpretaram ataques com foguetes na terça

Efe,

02 de julho de 2008 | 06h25

Israel reabriu nesta quarta-feira, 2, as passagens fronteiriças com Gaza e permitirá a entrada pela primeira vez em um ano de cimento no território palestino, informaram fontes oficiais. As fronteiras entre o Estado judeu e a Faixa de Gaza estavam fechadas em represália ao lançamento de foguetes perpetrado por milicianos palestinos contra o território israelense. A reabertura das fronteiras foi confirmada tanto por fontes oficiais israelenses como do movimento islamita Hamas, que governa a Faixa de Gaza há mais de um ano. As passagens fronteiriças de Karni, Nahal Oz e Sufa, usadas para a entrada de mercadorias e alimentos em Gaza, foram reabertas nesta quarta-feira, após uma ordem do ministro da Defesa de Israel, Ehud Barak. Barak teria autorizado a reabertura da fronteira depois de confirmar que milicianos palestinos em Gaza não perpetraram qualquer ataque com foguetes na terça-feira. "Uma parte da passagem industrial de Karni e as de combustível de Nahal Oz e Sufa foram abertas para permitir a entrada de produtos humanitários, alimentos e, pela primeira vez em um ano, de cimento", declarou Peter Lerner, porta-voz do escritório de coordenação das atividades do governo israelense nos territórios palestinos. Segundo Lerner, que trabalha diretamente com o Ministério da Defesa israelense, a previsão é de que 75 caminhões entrem nesta quarta-feira em Gaza através da passagem de Sufa e outros 80 veículos através de Karni. Seguindo a rotina dos últimos dias, a principal passagem de pessoas, a de Erez, controlada pelo Exército israelense e situada no norte de Gaza, permanece aberta para casos humanitários. "Entre 40 e 50 pessoas saem a cada dia da faixa para receber tratamento médico em Israel", precisou. O Ministério do Interior em Gaza, controlado pelo Hamas, também confirmou que as passagens foram reabertas nesta quarta-feira. Desde que começou o frágil cessar-fogo entre Israel e o movimento islamita, no dia 19 de junho, o Estado judeu fechou a fronteira com Gaza por seis dias, em resposta ao lançamento de foguetes e bombas por parte de milicianos palestinos.

Tudo o que sabemos sobre:
IsraelFaixa de Gaza

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.