Israel rejeita resolução da ONU sobre ação em Gaza

Relatório sugere que responsáveis por crime de guerra sejam julgados pelo Tribunal Penal Internacional

Efe,

06 Novembro 2009 | 10h08

Israel rejeitou nesta sexta-feira, 6, a resolução aprovada na noite de quinta-feira pela Assembleia Geral da ONU, que leva ao Conselho de Segurança do organismo o relatório que exige que o Estado judeu e o Hamas investiguem crimes de guerra que teriam sido cometidos em Gaza.

 

Em comunicado, o Ministério de Relações Exteriores israelense considera que o relatório está "completamente longe da realidade", e adverte que Israel "continuará defendendo a vida de seus cidadãos da ameaça do terrorismo internacional".

 

A nota afirma que o Exército israelense mostrou na ofensiva desenvolvida entre dezembro do ano passado e janeiro na Faixa de Gaza, controlada pelo Hamas, "um maior grau moral que todos e cada um que incitaram a resolução" aprovada pela Assembleia Geral da ONU.

 

A resolução recomenda que o Conselho de Segurança envie ao Tribunal Penal Internacional os responsáveis dos crimes de guerra cometidos na ofensiva em Gaza, caso Israel e Hamas não empreendam investigações internas sobre os crimes.

 

Segundo os observadores, é altamente improvável, no entanto, que a máxima instância de decisão da ONU adote essa decisão, devido à presumível oposição dos Estados Unidos, com direito a veto no Conselho de Segurança e que rejeita o relatório.

Mais conteúdo sobre:
palestinos Faixa de Gaza

Encontrou algum erro? Entre em contato

publicidade

publicidade

publicidade

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.