Majdi Mohammed/AP
Majdi Mohammed/AP

Israel rompe com Conselho de Direitos Humanos da ONU

Decisão foi motivada pela investigação que o órgão faz dos assentamentos judaicos da Cisjordânia

REUTERS

26 Março 2012 | 10h54

JERUSALÉM - Israel anunciou nesta segunda-feira, 26, o rompimento dos seus contatos com o Conselho de Direitos Humanos da Organização das Nações Unidas, que na semana passada decidiu investigar os assentamentos judaicos da Cisjordânia.

 

Veja também:

linkAbbas vai liderar governo de reconciliação interino

O rompimento, anunciado pela chancelaria de Israel, implica que os investigadores da ONU não poderão realizar seu trabalho pessoalmente no território israelense ou na Cisjordânia, que é um território palestino ocupado por Israel.

"Não estamos mais trabalhando com eles", disse o porta-voz Yigal Palmor. "Estávamos participando de reuniões, discussões, arranjando visitas a Israel. Tudo isso acabou."

A investigação internacional, solicitada pela Autoridade Palestina, foi aprovada na quinta-feira, e o único país do conselho a votar contra foram os Estados Unidos. Líderes israelenses disseram que o conselho age de forma hipócrita e tendenciosa contra Israel.

"Eles sistemática e serialmente tomam todo tipo de decisão e condenação contra Israel sem nem simbolicamente considerarem as nossas posições", queixou-se Palmor. Segundo ele, Israel vai continuar cooperando com outros órgãos da ONU.

Mais conteúdo sobre:
ISRAEL ONU DIREITOSHUMANOS*

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.