Israel se prepara para retirar 23 assentamentos em um dia

Jornal diz que operação vai remover colônias em área palestina consideradas ilegais pelo governo israelense

Efe,

21 de julho de 2009 | 11h54

As Forças Armadas israelenses se preparam para realizar em um único dia um plano de retirada forçada de 23 pequenos assentamentos ilegais na Cisjordânia, diz a edição desta terça-feira, 21, do jornal Haaretz. Segundo a fonte, o plano teria sido aprovado pelo primeiro-ministro israelense, Benjamin Netanyahu, e afetaria todos os pequenos assentamentos estabelecidos por colonos judeus em território palestino depois de 2001, que são os reconhecidos como ilegais por Israel - para a comunidade internacional, todos o são.

 

A Polícia de Fronteiras, a polícia e o Exército israelenses teriam feito um exercício conjunto para praticar o plano e treinar o controle dos violentos protestos que este previsivelmente provocaria entre os colonos. O Exército tenta ocultar todos os detalhes referentes à retirada, principalmente as datas, já que seus chefes "são conscientes de que muitos soldados se identificam com os colonos e poderiam passar informações aos que se opõem" à saída dos assentamentos, publica o Haaretz.

 

O porta-voz da polícia israelense, Miki Rosenfeld, não quis falar à Agência Efe sobre treinamentos específicos para a retirada de assentamentos e se limitou a dizer que, "nos últimos anos, a polícia israelense treinou continuamente para enfrentar as desordens públicas".

 

Nas últimas semanas, a política israelense de expansão de colônias no território palestino ocupado da Cisjordânia foi duramente criticada pelos Estados Unidos, que exigiu a interrupção da construção de assentamentos. Nesta segunda-feira, colonos israelenses incendiaram 1.500 oliveiras de propriedade palestina em uma área ao redor da cidade de Nablus, na Cisjordânia, em resposta à demolição de um assentamento colono na região pela polícia israelense. Indignados com a demolição, os colonos também atiraram pedras contra motoristas palestinos que circulavam na zona.

Tudo o que sabemos sobre:
Israelpalestinos

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.