Itália age para desbloquear 2,5 bi de euros de ativos da Líbia

A Itália busca desbloquear 2,5 bilhões de euros (3,59 bilhões de dólares) congelados em ativos da Líbia dentro de uma ou duas semanas, disse o Ministro das Relações Exteriores italiano, Franco Frattini, neste sábado.

STE, REUTERS

03 Setembro 2011 | 17h00

A Itália, que já foi o aliado mais próximo da Líbia no Ocidente, congelou cerca de 7 bilhões de euros em ativos como parte das sanções impostas contra Muammar Gaddafi, cujo regime de 42 anos chegou ao fim esta semana.

"Nós já descongelamos 500 milhões de euros e o próximo passo é descongelar todos os ativos, assim que o comitê de sanções das Nações Unidas der o sinal verde", disse Frattini no intervalo de uma conferência internacional sobre a Líbia.

"A Itália pediu o descongelamento de mais 2,5 bilhões de euros em ativos", disse.

Uma fonte do ministério disse que os ativos que poderiam ser potencialmente descongelados incluíam investimentos de capital na Itália. A decisão de quais ativos serão eventualmente descongelados será tomada mais tarde, após consulta ao Tesouro, disse a fonte.

Investidores líbios possuem cerca de 7,5 por cento do maior banco da Itália, o UniCredit, cerca de 1 por cento do grupo de petróleo e gás Eni e cerca de 2 por cento do grupo de defesa Finmeccanica.

Mais conteúdo sobre:
LIBIA ATIVOS ITALIA*

Encontrou algum erro? Entre em contato

publicidade

publicidade

publicidade

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.