Já são 700 os soldados estrangeiros mortos no Afeganistão no ano

Insurgentes do Taliban lançaram ataques em Cabul e em outra grande cidade do norte afegão neste domingo, ao mesmo tempo em que o número de soldados estrangeiros mortos no país em 2010 subiu para 700, quase um terço do total morto em praticamente uma década de guerra.

MICHELLE NICHOLS E MOHAMMAD HAMED, REUTERS

19 de dezembro de 2010 | 17h07

Em Cabul, dois militantes suicidas atacaram um ônibus com militares afegãos em Cabul, matando cinco e ferindo nove, segundo o Ministério da Defesa. Os insurgentes, com explosivos presos ao corpo, abriram fogo contra o ônibus. Um dos militantes se explodiu, e o outro foi alvejado pela polícia, antes que pudesse detonar a sua bomba.

O Taliban assumiu a responsabilidade pela ação, o primeiro ataque de grande repercussão à capital afegã desde maio, quando seis soldados estrangeiros foram mortos num atentado suicida com o uso de um carro-bomba.

No norte do país, sete soldados e policiais afegãos foram mortos quando pelo menos quatro homens-bomba atacaram num centro de recrutamento do Exército na cidade de Kunduz, segundo o Ministério da Defesa. A cidade havia sido visitada pela chanceler alemã, Angela Merkel, no dia anterior.

Dois militantes, segundo testemunha, se explodiram na entrada do centro militar, e depois houve conflito a tiros com pelo menos mais dois que conseguiram entrar.

O presidente do Afeganistão, Hamid Karzai, declarou num comunicado que os ataques eram "crimes importantes e imperdoáveis, por parte de inimigos do Afeganistão que se opõem ao fortalecimento das forças de segurança do país."

As forças afegãs são um alvo mais fácil do que as tropas estrangeiras, melhor equipadas. Os soldados de outros países ficam quase sempre em bases bem guardadas ou em veículos com forte blindagem. As forças locais são também alvo estratégico para os militantes, diante da disposição de Karzai e do Ocidente para preparar os militares afegãos e acelerar a partida dos estrangeiros.

Entre as tropas estrangeiras, o número de 700 mortos em 2010 chegou com a morte de um integrante da força da Organização do Tratado do Atlântico Norte (Otan) no sul do país. Ele foi morto por uma bomba colocada numa estrada.

Um total de 521 soldados estrangeiros morreram em 2009, o pior ano da guerra até este. As operações contra o Taliban se intensificaram nos últimos 18 meses.

Desde 2001, pelo menos 2.270 soldados morreram. Praticamente dois terços deles norte-americanos.

As baixas entre tropas e policiais afegãos têm sido bem maiores, mas o governo não divulga os dados. As mortes entre civis também batem recorde neste ano.

Tudo o que sabemos sobre:
AFEGANISTAOATAQUESRECORDE*

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.