Japão anuncia fim de desdobramento militar no Iraque

Com a retirada até o fim de 2008, país deixar de apoiar militarmente os Estados Unidos na operação iraquiana

Efe,

11 de setembro de 2008 | 01h48

O Japão estudará um plano para retirar suas Forças de Autodefesa Aérea do Iraque antes do fim deste ano, anunciou nesta quinta-feira, 11, o ministro de Defesa japonês, Yoshimasa Hayashi. O objetivo é que a totalidade do desdobramento militar japonês seja retirado do Iraque antes do final de 2008, explicou à Agência Efe uma porta-voz do Ministério de Defesa japonês. Esse porta-voz lembrou que em dezembro de 2008 expira o mandato outorgado pelo Conselho de Segurança da ONU ao Exército americano para operar no Iraque. As Forças de Autodefesa japonesas de terra foram no início de 2004 ao Iraque por ordem do então primeiro-ministro, Junichiro Koizumi, em uma decisão muito polêmica, mas desde 2006 o desdobramento japonês está limitado ao transporte aéreo de tropas multinacionais entre Kuwait e Bagdá. A decisão de retirar as forças aéreas, que colocará fim totalmente ao apoio militar que o Japão deu aos Estados Unidos no Iraque, foi anunciada após o primeiro-ministro, Yasuo Fukuda, anunciar que espera ser substituído. No dia 1º de setembro, ele comunicou seu desejo de renunciar. A oposição do Partido Democrático (PD) se opõe à missão militar japonesa no Iraque e o favorito para suceder Fukuda, Taro Aso, é também contrário a esse desdobramento. O novo primeiro-ministro do Japão será eleito pelo Parlamento no dia 24. Em abril, um tribunal de Nagóia (centro do Japão) declarou pela primeira vez inconstitucional o desdobramento das forças aéreas japonesas no Iraque, por considerar que viola a Constituição, que proíbe que o Japão participe de conflitos armados. Esse tribunal estimou que os soldados japoneses foram enviados ao Iraque em uma missão relacionada com um ato bélico e que portanto viola a Constituição pacifista japonesa, imposta pelos aliados no final da Segunda Guerra Mundial. Em julho de 2003 o Parlamento japonês sancionou uma lei especial para apoiar o Exército americano na Guerra do Iraque na qual se autorizava o envio de Forças de Autodefesa japonesas a esse país e Kuwait, por desejo de Koizumi. No início de 2004 as Forças de Autodefesa japonesas foram desdobradas em Samawa, na província iraquiana de Muthana (sul), para trabalhos de reconstrução. Em julho de 2006, o Japão retirou suas tropas de terra do Iraque e deixou somente suas forças aéreas. Atualmente oferece apoio logístico aos Estados Unidos no Iraque com vôos de transporte de tropas e mercadorias que usam três aviões C130 e 200 militares da Força Aérea japonesa, com base no Kuwait. O Japão também apóia os Estados Unidos no Afeganistão com tarefas de abastecimento de combustível aos aliados militares americanos, graças a outra lei de caráter especial.

Tudo o que sabemos sobre:
IraqueJapãoajuda militarEUA

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.