Jordânia pede ajuda a Blair para impedir obras em Al-Asqa

'Blair deveria perceber que Jerusalém é a chave para paz entre Israel e os árabes', diz o presidente do comitê

Efe

28 Julho 2007 | 14h55

A Jordânia pediu neste sábado, 28, o apoio de Tony Blair, enviado especial do Quarteto de Madri para o Oriente Médio, para evitar que Israel continue as escavações perto da Mesquita de Al-Asqa,  em Jerusalém.   Em comunicado, o "Comitê Real Jordaniano para os Assuntos de Jerusalém" solicitou ao Governo israelense que tome "medidasimediatas" para parar essas obras se realmente quiser a paz. "Blair deveria perceber que Jerusalém é a chave para um acordo depaz entre Israel e os árabes", disse o presidente do comitê, Abdullah Kanaan.   Kanaan exortou o enviado do Quarteto (EUA, Rússia, UE e ONU) a pressionar o Estado judeu para "cancelar esse projeto que é uma ameaça à paz".   Além disso, Kanaan disse que o pedido feito a Blair é uma resposta às informações aparecidas nos últimos dias na imprensa israelense que falam de uma retomada das obras para a construção de uma rampa entre o Muro das Lamentações e a Esplanada das Mesquitas.   De acordo com um pacto assinado em 1994 entre Jordânia e Israel,o Estado judeu reconhece ao reino hachemita o direito de zelar pelos lugares santos muçulmanos e cristãos em Jerusalém.

Mais conteúdo sobre:
JordâniaBlairacordo

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.