Efe/arquivo
Efe/arquivo

Jornalista dos EUA presa no Irã será solta nesta 2ª, diz advogado

Tribunal reduz de 8 para 2 anos a condenação por espionagem; pena será cumprida se houver reincidência

Reuters e Associated Press,

11 de maio de 2009 | 08h34

A jornalista norte-americana Roxana Saberi deve ser libertada nesta segunda-feira, 11, após um tribunal de apelações do Irã suspender sua sentença de oito anos de prisão. A informação foi dada pelo advogado de Roxana, que foi condenada no mês passado por espionar para os Estados Unidos.

 

Abdolsamad Khorramshahi, advogado da jornalista, disse que o tribunal de apelações discutiu o caso dela no domingo e informou nesta segunda-feira que a condenação foi reduzida para uma sentença de dois anos, com direito a suspensão. Ou seja, a repórter, também cidadã iraniana, só cumpriria a pena se reincidisse. Ele disse que Saberi será proibida de fazer qualquer trabalho jornalístico no Irã por cinco anos.

 

O advogado afirmou que Roxana "será liberada hoje". Uma fonte judicial ouvida pela agência Reuters afirmou que Roxana já teria sido libertada e deixou a prisão logo após o anúncio da decisão da corte. O caso é um ponto de discórdia nas relações entre Irã e EUA, no momento em que o governo de Barack Obama afirma querer dialogar com Teerã. O caso também foi alvo de condenação por entidades que defendem a liberdade de imprensa.

 

O pai de Saberi, Reza, disse que ele e sua mulher, Akiko, estavam a caminho da prisão de Evin, no Teerã, onde sua filha está presa desde o fim de janeiro, "para trazê-la de volta para casa". Reza Saberi disse à Reuters que sua filha terá a permissão de deixar o Irã.

 

A repórter foi condenada por um tribunal revolucionário de Teerã após um julgamento de um dia, a portas fechadas. Inicialmente, ela foi acusada de trabalhar sem as credenciais da imprensa, mas as autoridades fizeram depois acusações mais sérias, afirmando que ela passou dados de inteligência para os EUA. Segundo o pai da jornalista, o julgamento durou apenas cerca de 15 minutos.

 

Nascida nos EUA, de pai iraniano e mãe japonesa, Roxana chegou a Teerã há seis anos e desde então trabalhou para meios de comunicação britânicos e americanos de prestígio como a BBC e a Fox News. Atualmente, se encontrava no país aparentemente recolhendo informações para escrever um livro. Ela nasceu nos EUA e foi criada em Fargo, Dakota do Norte.

 

Tudo o que sabemos sobre:
IrãEUA

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.