TV France 2/Efe
TV France 2/Efe

Jornalista francês é morto na Síria

Correspondente do canal TV France 2 é o primeiro repórter ocidental a morrer no país

Reuters

11 de janeiro de 2012 | 14h53

PARIS - Um correspondente da TV France 2 está entre um grupo de várias pessoas mortas num ataque nesta quarta-feira, 11, na cidade de Homs, região central da Síria, tornando-se o primeiro jornalista ocidental a morrer durante os dez meses de protestos antigovernamentais no país.

 

"A televisão France 2 acabou de ser informada com grande pesar da morte do repórter Gilles Jacquier em Homs", disse a emissora, acrescentando não ter detalhes sobre as circunstância do fato. Jacquier havia estado anteriormente no Iraque e no Afeganistão e viajou para a Síria a convite do governo local, segundo a France 2.

De acordo com a TV síria Addounia, o jornalista morreu em um ataque que deixou um total de oito mortos e 25 feridos.

A Síria proibiu o trabalho da maioria dos jornalistas estrangeiros logo depois que começaram as manifestações contra o presidente Bashar al-Assad, em março. No entanto, um número maior de profissionais vem obtendo autorização para entrar no país desde que a Liga Árabe enviou uma equipe de monitores à Síria para checar se as autoridades estavam cumprindo um acordo com a entidade para pôr fim ao derramamento de sangue.

Uma testemunha em Homs, que pediu para não ser identificada, afirmou que as mortes foram causadas por granadas lançadas durante uma manifestação pró-Assad. Ele disse ter visto três corpos.

 

As manifestações contra o regime de Assad - e consequentemente os confrontos e a violência - já duram mais de 10 meses e deixaram ao menos 5 mil mortos, segundo a Organização das Nações Unidas (ONU). O regime culpa "grupos armados e terroristas" pelos incidentes.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.