Jornalistas líbios são libertados de antigo reduto de Gaddafi

Dois jornalistas líbios sequestrados em um antigo reduto do líder deposto Muammar Gaddafi enquanto cobriam as eleições do país na semana passada foram libertados, disseram neste domingo um colega e uma autoridade que mediou o impasse.

ALI SHUAIB, Reuters

15 de julho de 2012 | 15h32

O repórter e cinegrafista Abdelqadir Fassouk e o cinegrafista Yusuf Badi desapareceram em 7 de julho perto de Bani Walid, um dos últimos redutos de Gaddafi a cair durante o levante de oito meses.

Os jornalistas, que trabalham para a emissora Tobacts, sediada em Misrata, estavam cobrindo a histórica eleição líbia para os 200 assentos da assembleia nacional na cidade de Mizdah, no oeste do país, e voltavam a Misrata quando o contato com eles foi perdido.

"Eles saíram de Bani Walid de helicóptero para Jadu e mais tarde viajarão para Misrata", disse Fathi Yussef, parte de uma equipe da cidade de Jadu, também no oeste, que chegou em Bani Walid no sábado para negociar a soltura dos jornalistas.

Yussef disse que alguns detidos em Bani Walid aprisionados em Misrata serão soltos como parte das negociações.

Desde o fim da revolta do ano passado contra Gaddafi, o governo interino vem lutando para controlar uma infinidade de grupos armados que se recusam a depor as armas e que com frequência fazem justiça com as próprias mãos e detêm pessoas.

Misrata foi uma das primeiras cidades a se unir à revolta contra Gaddafi e tem um histórico de rivalidade com Bani Walid.

Tudo o que sabemos sobre:
LIBIAJORNALISTASLIBERTADOS*

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.