Jornalistas mortos na Síria foram enterrados em Homs--vídeos

A correspondente de guerra norte-americana Marie Colvin e o fotógrafo francês Remi Ochlik foram enterrados na cidade síria de Homs, onde morreram durante um bombardeio oito dias atrás, segundo vídeos divulgados na Internet.

REUTERS

01 de março de 2012 | 21h40

Um homem que aparece nos vídeos mostra dois corpos envolvidos em um pano branco, identificados com seus nomes, e explica que foram enterrados porque a cidade não tinha eletricidade, e os cadáveres já não podiam ser preservados.

"Marie Colvin morreu como mártir em Baba Amro porque estava enviando (...) uma mensagem humanitária, transmitindo a verdade do que acontecia em Baba Amro", disse o homem, que usava roupas médicas, uma máscara e um estetoscópio.

Ativistas dizem que Colvin e Ochlik morreram em 22 de fevereiro durante intensos bombardeios contra o distrito de Baba Amro, em Homs, bastião dos rebeldes que lutam contra o governo do presidente Bashar al-Assad.

Os vídeos têm data de 27 de fevereiro.

A agência estatal síria informou na quinta-feira que as autoridades haviam achado os corpos de Colvin e Ochlik e que seriam transferidos a Damasco para a realização de exames de DNA, e que logo seriam entregues às embaixadas de Polônia e França.

(Reportagem de Dominic Evans)

Tudo o que sabemos sobre:
SIRIAJORNALISTASENTERRADOS*

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.