Dida Sampaio/Agência Estado
Dida Sampaio/Agência Estado

Justiça extraditará israelense acusado de torturar crianças

STF recusou apelação para manter Elior Noam Hen no País; extradição será em 25 de outubro

Reuters,

16 de outubro de 2009 | 13h59

O governo brasileiro extraditará neste mês um clérigo judeu acusado de torturar crianças para supostamente libertá-las das forças do mal, informaram a embaixada de Israel e o Supremo Tribunal Federal nesta sexta-feira, 16.

 

O Supremo rejeitou a apelação de Elior Noam Hen para anular o processo e manteve sua extradição para Israel, prevista ainda para outubro. O israelense, também conhecido como Eliyahu Abu Hazera, é acusado de torturar oito crianças no ano passado. Segundo informações da embaixada israelense, Hazera batia nas crianças, queimava suas mãos e os submetia a abusos psicológicos.

 

O israelense está em São Paulo e será transferido para Brasília. Segundo a embaixada de Israel, Hazera será levado de volta ao seu país no dia 27.

 

As acusações formais contra Hazera são de violência e abuso contra menores e conspiração para atos criminais. As crianças sofreram "danos mentais e físicos intensos porque estariam supostamente possuídas", de acordo com o tribunal.

 

Umas das vítimas perdeu a consciência e está em estado vegetativo permanente, segundo documentos do Supremo. Detalhes de onde e quando os abusos ocorreram não foram divulgados.

Tudo o que sabemos sobre:
STJembaixadaIsraelextradiçãotortura

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.